Alguns não entrarão no Reino do Céu


Mateus 7.21-24: – Não é toda pessoa que me chama de “Senhor, Senhor” que entrará no Reino do Céu, mas somente quem faz a vontade do meu pai, que está no céu. 22 Quando aquele dia chegar, muitas pessoas vão me dizer: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!” 23 Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!”

Os versos acima relatam os momentos finais do Sermão do Monte pregado por Jesus, citado por Mateus nos capítulos 5 a 7. Nele Jesus abordou diversos temas relacionados a nova lei, os conceitos do Reino; instruções aos herdeiros do Reino. Todo crente deve ler e buscar aplicar os princípios ensinados neste sermão.

Uma breve introdução dos temas abordados por Jesus no Sermão do Monte:

  1. As bem-aventuranças (5:3-12);
  2. Os discípulos são sal da terra e luz do mundo (5:13-16);
  3. Jesus veio para cumprir o que a Lei e os Profetas ensinaram (5:17-20);
  4. Jesus instrui sobre coisas pertinentes ao cotidiano das pessoas (5:21-48). A necessidade de reconciliação entre os irmãos na fé (5:21-26); o que é adultério na visão de Jesus (5:27-30); quando o divórcio é aceito por Deus (5:31,32); o pecado de perjúrio, falso juramento (5:33-37); o que fazer quando você se sente prejudicado por alguém em determinada situação (5:38-42); o dever de amar aos inimigos (5:43-48);
  5. Práticas cristãs (6:1-18). Como devemos dar esmolas (6:1-4); o que é oração e como orar (6:5-15); o modelo de oração ensinado por Jesus (6:9-13); o perdão (6:14-15); o jejum (6:16-18);
  6. Falsos conceitos sobre cuidados de si mesmo (6:19-7:12). Tesouro escondido na terra, a pureza no olhar, os dois senhores, a ansiedade e solicitude pelas coisas terrenas (6:19-34); o perigo em julgar os outros (7:1-5); as pérolas não devem ser desperdiçadas com os porcos (7:6); a bondade de Deus revelada na oração (7:7-11); a regra de ouro, na lei e os profetas – Façam aos outros o que querem que eles façam a vocês (7:12);
  7. Quase finalizando o sermão, Jesus fala sobre “os dois caminhos” (7:13-27); O caminho estreito e o caminho largo (7:13,14); o que as obras dizem sobre você, pelos frutos se conhece a árvore, (7:15-20); os falsos e os verdadeiros discípulos (7:21-23), tema desta mensagem; e finalizando, ele fala sobre a casa construída sobre a rocha ou sobre a areia (7:24-27). Quando Jesus conclui o sermão (7:28-29), o povo estava admirado com a maneira como ele ensinava.

Assista o vídeo desta mensagem em nosso Canal. Aproveite para curtir, comentar, se inscrever e compartilhar. Com a tua colaboração levaremos esta mensagem para mais pessoas e lugares.

Algumas lições que podemos aprender no ensino de Jesus sobre os verdadeiros e falsos discípulos: Vejamos:

  1. Jesus fala sobre a decisão que todos teremos que tomar em algum momento da vida: obedecer ou desobedecer a vontade divina. Não se trata de uma imposição, ninguém é obrigado decidir-se por Cristo.
  2. Porém para acessar o Seu Reino Celestial é necessário obedecê-Lo.
  3. Jesus deixa claro que o futuro de cada pessoa na eternidade, depende unicamente e exclusivamente dela: os pais não podem garantir a salvação dos filhos; um cônjuge não pode garantir a salvação do outro cônjuge; a igreja não pode garantir a salvação dos seus membros – ir à igreja não o torna um cristão verdadeiro; assim como as boas obras desacompanhadas da obediência a Deus não garantem a salvação.
  4. O nosso destino eterno depende da atitude que tomarmos nessa vida.
  5. Durante todo o sermão Jesus falou acerca das ações corretas ou erradas que tomamos e suas consequências, com isso aprendemos que diante dele não há como manter neutralidade, você é de Jesus ou contra Jesus.
  6. A pessoa declarar verbalmente que pertence a Jesus não é suficiente, é necessário que as suas ações reflitam a natureza divina vivendo como Jesus ordena.

I – O PERIGO EM SUBSTITUIR A OBEDIÊNCIA POR UMA DECLARAÇÃO ELOQUENTE.

As pessoas que Jesus descreve no verso 21 aparentam estar confiantes quanto a salvação eterna, elas dizem “Senhor, Senhor …” numa clara demonstração que estavam entre os seguidores de Jesus. Elas agiam como os seguidores fiéis declarando o nome ‘Senhor’, provavelmente tinham vida ativa nos ministérios, eram bons contribuintes, assíduos nas reuniões etc. embora fossem capazes de professar não obedeciam a vontade de Jesus.

No verso 22 Jesus afirma que na eternidade muitos irão dizer Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome … Eles falaram e realizaram coisas em Seu nome. Porém a salvação eterna não é assegurada por palavras e ações sem obediência.

  • A salvação envolve a prática, a declaração e a obediência a Deus.

II – AS PESSOAS QUE SERÃO REJEITADAS TAMBÉM PROFESSAM O NOME DE CRISTO

O apostolo Paulo ensinou que devemos confessar a Cristo com os lábios e crer de todo o coração. Romanos 10:9 – Se você disser com a sua boca: “Jesus é Senhor” e no seu coração crer que Deus ressuscitou Jesus, você será salvo.

  • A confissão deve vir acompanhada da fé gerada pela Palavra de Deus que nos conduz a obediência.

Tiago, acrescenta que a fé exige comprovação através das obras, caso contrário ela não tem valor. Tiago 2:17 – Portanto, a fé é assim: se não vier acompanhada de ações, é coisa morta.

  • A declaração (nós falamos em teu nome); as obras (nós expulsamos demônios em teu nome) devem estar conectadas a fé e a obediência, que resulta em salvação.

A exortação de Jesus não se refere aos incrédulos e inimigos declarados da fé cristã, mas as pessoas que estão entre seus seguidores:

  • Exemplo: Você pode seguir seu artista favorito, seus amigos e até inimigos nas redes sociais, receber notificações sempre que algo importante acontecer com eles e estar sempre ciente de suas reflexões mais recentes. No mundo das celebridades o número de seguidores nas redes sociais indica o seu nível de influência.

É possível que muitas pessoas sigam Jesus da mesma forma que seguem seus artistas, políticos e amigos favoritos.  De vez em quando eles leem alguns de seus pensamentos e se gostam até colocam em prática.  Esporadicamente eles vão a eventos específicos onde falam sobre ele, e se referem a ele como seu ídolo. A pergunta que fica é a seguinte: Será este o tipo de seguidor que Jesus procura?

  1. Tais pessoas demonstram grande respeito por Jesus ao chamá-lo de ‘Senhor, Senhor’.  Elas representam os simpatizantes da fé cristã, os falsos religiosos, os fingidos que têm aparência de piedade e aqueles que dizem que são povo de Deus, mas são desobedientes à Palavra de Deus.
  2. Tais pessoas demonstram fervor, elas não dizem simplesmente ‘Senhor’, mas ‘Senhor, Senhor’, dando a entender que eram pessoas entusiastas e avivadas. Certa vez ouvi de um pregador a seguinte frase: “Eu nunca vi um avivamento no meio do movimento, nunca vi um avivamento genuíno em eventos festivos, todas as experiências que eu tive com avivamento se deram através de lágrimas, choro e quebrantamentos…” Devemos ter o cuidado para não sermos enganados pelos entusiastas da fé.
  3. Tais pessoas confessam sua fé publicamente. Elas não têm vergonha em dizer que são cristãs em público, algumas profetizam e pregam em nome de Jesus. Elas são capazes de fazer grandes eventos e atrair multidões, dar entrevistas na mídia, postar selfies com personalidades, participar da política, ir as festas mundanas, tudo em nome de Jesus. O problema dessas pessoas não é com o que elas dizem, mas com o que fazem.
  4. Tais pessoas demonstram ter uma fé sobrenatural. Além de profetizar e declarar a Cristo, elas realizam milagres e expulsam demônios com autoridade. Assim como os sacerdotes egípcios imitaram Moisés, eles imitam a verdadeira igreja de Cristo realizando coisas espantosas em seu nome. No juízo elas dirão que fizeram tudo em nome de Jesus e que lhe deram honras e glórias nos seus atos, mesmo assim serão rejeitadas por Jesus.
  5. Tais pessoas fazem o que parece certo. Qualquer um de nós pode se enganar diante dessas pessoas pelo que dizem e fazem, mas Deus conhece o coração do ser humano e contempla as verdadeiras intenções e motivações por trás da aparente piedade e manifestação de poder. No juízo a nossa intimidade será revelada diante de Deus, os segredos e planos ocultos serão expostos sob o olhar divino.
  6. Tais pessoas fazem aparentemente conforme determina a Bíblia. Elas cantam canções em nome de Cristo, vestem roupas ‘decentes’, usam apetrechos com o nome de Jesus, em seus lábios se declaram cristãos, mas não são capazes de renunciar ao pecado e combater o erro.

III – O QUE JESUS DISSE A RESPEITO DESSAS PESSOAS?

Jesus nunca escondeu dos seus ouvintes o seu posicionamento em relação a verdade, ele é a Palavra de Deus. João 1.1 – No começo aquele que é a Palavra já existia. Ele estava com Deus e era Deus.

Em nossos dias muitos cristãos estão se omitindo diante das questões que prejudicam a igreja porque não querem se comprometer, se mostram flexíveis e sem firmeza. Evitam temas polêmicos como sexualidade, política, caráter, doutrinas etc., preferem a abstenção, vivem a religião cristã, mas não defendem a fé cristã.

Essas pessoas fazem tudo publicamente sem nenhum temor, elas aceitam o erro com naturalidade e incitam outros cristãos a fazer o mesmo. Jesus Cristo irá tratar com elas de modo igual, no verso 22 diz que elas irão chegar e dizer para Jesus: “Senhor, Senhor, pelo poder do seu nome anunciamos a mensagem de Deus e pelo seu nome expulsamos demônios e fizemos muitos milagres!”

Elas não imaginam o nível de justiça que há em Cristo, elas estavam acostumadas a enganar os outros com suas palavras, mas diante de Jesus a situação irá mudar, verso 23: Então eu direi claramente a essas pessoas: “Eu nunca conheci vocês! Afastem-se de mim, vocês que só fazem o mal!”

O grau de importância dessas pessoas diante de Jesus é zero, embora tenham usado o nome de Jesus na terra, eles serão ignorados e tratados como desconhecidos. O pecado que separa o homem de Deus ofuscou a vida dessas pessoas aos olhos de Deus, suas maldades ocultas foram como nuvens escuras que impedem o brilho o sol.

  1. Jesus rejeitou essas pessoas porque a fé que demonstravam era apenas verbal, moralmente eles estavam comprometidos com o pecado. Era uma fé superficial, nunca se submeteram verdadeiramente a senhorio de Cristo e sua vontade. Diante de Deus não basta falar em nome de Jesus ou imitar ser um cristão, é preciso demonstrar no coração a qual Senhor está se sujeitando.
  2. Jesus rejeitou essas pessoas porque praticavam a iniquidade. Eles podiam afirmar que seguiam a Jesus, podiam fazer milagres e expulsar demônios em nome de Jesus, podiam promover grandes realizações em nome de Jesus, mas todas as vezes que o Espírito Santo tentou reinar sobre eles não houve aceitação. Apocalipse 3.20 – “Escutem! Eu estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos”.

Aos que se dizem cristãos, que declaram o nome de Jesus todos os dias, fica um alerta: Muitos de nós estão acostumados a vir à igreja, cantar, orar, falar e cumprir suas obrigações religiosas; em algumas igrejas as pessoas oram o Pai Nosso, repetem partes do sermão, aplaudem, dançam, atuam em vários ministérios da igreja etc.

Tudo isso é muito bom, mas Jesus não se impressiona com as nossas palavras, com a nossa ortodoxia, com as nossas obras, com os milagres que realizamos. Tudo o que Ele quer é a nossa obediência, não basta dizer ‘eu creio, eu aceito, eu sou de Jesus’, nós precisamos provar para Deus o quanto estamos dispostos a tomar a cruz de cada dia e seguir a Jesus.

  • Calvino disse em certa ocasião: Somos salvos apenas pela fé, mas a fé que salva nunca está sozinha.   A fé é o que traz salvação para nossas vidas, mas se essa fé for verdadeira, trará mudanças em nós.  Isso nos levará a querer obedecer a Deus, a se esforçar para fazer sua vontade e agradá-Lo em tudo.  Caso contrário, temos uma falsa fé.

IV – SOBRE QUAL FUNDAMENTO VOCÊ ESTÁ EDIFICADO?

Jesus conclui o seu sermão nos versos 24 a 27, dizendo: – Quem ouve esses meus ensinamentos e vive de acordo com eles é como um homem sábio que construiu a sua casa na rocha. 25 Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Porém ela não caiu porque havia sido construída na rocha. 26 – Quem ouve esses meus ensinamentos e não vive de acordo com eles é como um homem sem juízo que construiu a sua casa na areia. 27 Caiu a chuva, vieram as enchentes, e o vento soprou com força contra aquela casa. Ela caiu e ficou totalmente destruída.

Jesus compara as duas classes de seguidores:

  1. Os que ouvem e não obedecem – Esses são imprudentes, fracos e inconstantes, não suportam as provações porque estão edificados sobre a areia, não possuem bom fundamento e são levados pelo engano.
  2. Os que ouvem e obedecem – Esses são sábios e constroem a sua casa espiritual sobre a rocha, que é Jesus. A chuva, enchente e veto representam os obstáculos que terão que enfrentar ao longo da carreira da fé. Se estiverem em Jesus suportarão todas as intempéries e não serão derrotados.

Que o Senhor nos ajude a ser como o sábio que fez a sua casa na rocha, desse modo não seremos derrubados ou abalados, permaneceremos firmes até a volta de Cristo.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: