Que vantagem tenho se eu não pecar?


Em seguida Eliú disse: 2 “Jó, você não tem o direito de dizer que para Deus você é inocente 3 e também não pode perguntar assim: ‘Ó Deus, será que te sentes mal com o meu pecado? E que vantagem tenho se não pecar?’ Jó 35:1-3.

Quando os três amigos de Jó (Elifaz, Bildade e Zofar) pararam de falar por não terem mais respostas para lhe oferecer, Eliú entra em cena com discurso de uma consciência do coletivo. Ele ouve o que Jó e seus amigos dizem, ele observa todos os atores em cena e busca através de seus discursos oferecer as respostas que os amigos de Jó não foram capazes de dar. Jó 32:1,2.

  • Para os três amigos, Jó estava sendo punido por Deus por ter cometido algum pecado. A interpretação do sofrimento de Jó pelos seus amigos é a mesma daqueles que ensinam que a pobreza é sinal de maldição e que ser rico é estar sob bençãos de Deus. Eles esquecem que o diabo também pode oferecer riquezas, fama, poder aos homens.
  • Deus não pune seus filhos no sentido de fazê-los sofrer por seus pecados. Deus disciplina seus filhos como um pai ou mãe corrige seus filhos a fim de que se desviem do mal. Porém, Deus não trará maiores sofrimentos sobre as pessoas do que aqueles que elas mesmas provocam por causa de seus pecados.

Assista a mensagem deste sermão em nosso Canal, aproveite para curtir, comentar, compartilhar e se inscrever no Canal.

Eliú ouviu os conselhos que os três amigos deram a Jó, enquanto eles falavam se manteve calado em sinal de respeito por serem mais velhos, Jó 32:4. Ele só falou quando os três amigos não tiveram como responder aos questionamentos de Jó. Eliú critica os três amigos por não terem oferecido a Jó uma resposta plausível ao seu sofrimento, além de considerá-lo em pecado para estar sofrendo tanto.

  • Em sua fala, Eliú adverte Jó sobre sua suposta alegação de inocência diante de Deus, verso 2 – “Jó, você não tem o direito de dizer que para Deus você é inocente.
  • Ele advertiu Jó pelo modo como tentou se defender das acusações de que estaria em pecado. Ele procura mostrar a soberania e a transcendência de Deus, o modo como Deus interage com os seres viventes.
  • Eliú fala da grandeza de Deus, da incapacidade do ser humano compreender a mente de Deus. Para Eliú o sofrimento pode beneficiar a pessoa de algum modo. Enquanto os amigos de Jó viam o sofrimento como uma punição de Deus ao pecador; Eliú defende o caráter pedagógico do sofrimento, Jó 36:15.
  • Ele destaca em seu discurso a graça e a misericórdia de Deus. Jó 33:26 – Quando orar, Deus o atenderá. Ele o adorará com alegria, e Deus o aceitará de novo como um homem direito.

O livro de Jó registra 4 discursos de Eliú. No capítulo 35 ele apresentou seu terceiro discurso onde fala sobre um Deus transcendente que não é afetado pela atividade humana, um Deus elevado em relação aos humanos. Um Deus que não pode ser atingido pelas coisas que praticamos sejam boas ou más.  Não existe uma relação de “toma lá, dá cá” entre Deus e homens (A.A.)

I – E SE EU PECAR?

Eliú levanta uma questão importante sobre o pecado em relação a Deus – ‘Ó Deus, será que te sentes mal com o meu pecado? E que vantagem tenho se não pecar?’ Embora Jó não tenha dito tais palavras, Eliú apresenta dois caminhos que nos sugerem o seguinte:

  • Se você pecar, fizer o mal, haverá punição?
  • E se não pecar, fizer o bem sendo obediente a Deus, alcançará alguma recompensa?

O que acontece quando você peca? Eliú responde: Você não irá atingir a Deus com o seu pecado…verso 6. Deus deu aos seres humanos o livre arbítrio – o poder e liberdade para decidir o que fazer.

  • Deus não deixou de ser Deus quando Adão e Eva pecaram. O medo surgiu como consequência do pecado. Porém o pecado trouxe consequências para todos os personagens envolvidos na queda: serpente, Gênesis 3:14-15; Eva, Gênesis 3:16; terra, Gênesis 3:17a; Adão, Gênesis 3:17b-19.
  • O seu pecado pode te levar ao caminho da destruição, vergonha ou morte. Porém, em momento algum a sua escolha irá mudar a pessoa de Deus, Deuteronômio 30:19. Por que Deus nos dá a liberdade para escolher? Simples, porque as nossas escolhas geram consequências, boas ou más, Romanos 2:6,11.
  • O seu pecado pode trazer sofrimentos individuais ou coletivos. Outras pessoas sofrem quando você peca. Verso 8a – São os outros que sofrem por causa dos pecados que você comete. Todos estamos cercados por pessoas (família, amigos, desconhecidos) com quem nos relacionamos sempre ou esporadicamente. As nossas falhas podem atingir essas pessoas direta ou indiretamente, Romanos 5:12.
  • O seu pecado pode, além do sofrimento imposto, torná-lo uma pessoa má e egoísta que não busca a Deus, versos 9 a 12. Por mais sábio que seja a pessoa, suas ações não afetam a pessoa de Deus, a sua sabedoria é nula diante de Deus (Jó 22:2-4). Esta é a essência da transcendência, Deus é e sempre será Deus, Salmos 145:13a – O teu Reino é eterno, e tu és Rei para sempre. Se você pecar ou continuar pecado, a maior consequência será com a sua alma na eternidade.

Qual é a sua vantagem se não pecar? Não é Deus que você não irá ajudar quando não pecar e decidir ser do bem. Verso 7 – Se você faz o bem, não está ajudando a Deus; ele não precisa de nada que é seu.

  • Quando você decide pela santidade em relação a Deus, você cumpre o desejo de Deus para a sua vida, I Pedro 2:15,16.
  • Nenhuma pessoa presta favor a Deus quando se afasta do mal, ela está prestando um favor a si mesma e a outras pessoas do seu convívio. Quando você decide não pecar e procura fazer o bem, não é a Deus que está ajudando, mas as pessoas que serão alcançadas através da sua bondade e modo de vida. Verso 8 – São os outros que sofrem por causa dos pecados que você comete; e também são eles que são ajudados quando você pratica o bem.

II – DEUS OBSERVA O QUE ACONTECE NA TERRA.

Eliú responde à afirmação de Jó sobre não ganhar vantagem fazendo o bem e que o Senhor não se importa com crimes. Na verdade, Deus estava observando a vida de Jó desde o princípio, Jó 1:8. Os olhos de Deus estão sobre os bons e os maus, Provérbios 15:3.

Jó pensava que Deus o tinha abandonado, que suas orações e aflição estavam distantes de Deus. Em sua ignorância disse e pensou em coisas que não compreendia. Eliú chama a atenção para a sua ignorância, que por não compreender os planos de Deus, preferiu questioná-lo sem razão. Versos 13 ao 16.

Jó reconheceu que de fato Deus estava vendo tudo que acontecia, Jó 42:1-2,5 – Então, em resposta ao Senhor, Jó disse: 2 “Eu reconheço que para ti nada é impossível e que nenhum dos teus planos pode ser impedido. 5 Antes eu te conhecia só por ouvir falar, mas agora eu te vejo com os meus próprios olhos.

  • As vezes somos tolos na maneira de enxergar o modo como Deus age, questionamos sem saber a resposta. Queremos ter razão quando estamos cobertos de pecados e esquecemos que a graça de Deus nos garante a sua presença, seu perdão e nossa salvação.

Hino: Tua infinita Graça:

Conforme a Tua infinita Graça. Oh Pai, perdoa a minha transgressão. Faz-me sentir mais uma vez a Graça e dá-me a Tua paz no coração.

Mais uma vez eu sinto o meu pecado que é contra Ti ó Pai, ó Pai de amor. Minha alma pede a Tua alegria, renova em mim o Teu amor, ó Meu Senhor.

Meu coração a Ti eu ofereço, perdão imploro, Meu Senhor e Rei. Faz-me sentir mais uma vez a Graça, misericórdia assim alcançarei.

E eis que em iniquidade fui formado e em pecado me concebeu a minha mãe. Mas o Senhor me deixou consumado, me deu a paz, me concedeu perdão.

Logo Independencia com Cristo OFICIAL

Contribua para este Ministério

R$ 100,00

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: